Terça-feira, 11 de Agosto de 2009

Transtorno de Personalidade Esquizóide

 

A característica essencial do Transtorno da Personalidade Esquizóide é um padrão invasivo de distanciamento de relacionamentos sociais e uma faixa restrita de expressão emocional em contextos interpessoais. Este padrão começa no início da idade adulta e apresenta-se em variados contextos. “Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Esquizóide parecem não possuir um desejo de intimidade, mostram-se indiferentes às oportunidades de desenvolver relacionamentos íntimos, e parecem não conseguir muita satisfação pelo facto de fazerem parte de uma família ou de outro grupo social. Eles preferem passar o seu tempo sozinhos a estarem com outras pessoas. “Com frequência, parecem ser socialmente isolados ou "solitários", quase sempre escolhendo actividades ou passatempos solitários que não envolvam a interacção com outras pessoas. Preferem tarefas mecânicas ou abstractas, tais como jogos matemáticos ou de computador. “Podem ter pouco interesse em experiências sexuais com outra pessoa e têm prazer em poucas actividades (se tiverem em alguma). Existe, geralmente, uma experiência reduzida de prazer em experiências sensoriais, corporais ou interpessoais, tais como caminhar na praia ao pôr-do-sol ou fazer sexo. “Estes indivíduos não têm amigos íntimos ou confidentes, excepto, possivelmente, algum parente em primeiro grau. “Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Esquizóide frequentemente mostram-se indiferentes à aprovação ou crítica e parecem não se importar com o que os outros possam pensar sobre eles. Podem ignorar as subtilezas normais da interacção social e com frequência não respondem adequadamente aos indicadores sociais, de modo que parecem socialmente ineptos ou superficiais e absortos consigo mesmos. “Geralmente exibem um exterior "insosso", sem reactividade emocional visível, e raramente retribuem gestos ou expressões faciais, tais como sorrisos ou acenos. Afirmam que raramente experimentam fortes emoções, tais como raiva e alegria. Frequentemente exibem um afecto restrito e parecem frios e indiferentes. “Entretanto, em circunstâncias muito incomuns nas quais estes indivíduos, pelo menos temporariamente, se sentem mais à vontade para se revelarem, podem reconhecer sentimentos dolorosos, particularmente relacionados com as interacções sociais. “Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Esquizóide podem ter uma particular dificuldade para expressar raiva, mesmo em resposta à provocação directa, o que contribui para a impressão de não possuírem emoções. As suas vidas frequentemente parecem não ter um rumo em termos de metas. “Esses indivíduos muitas vezes reagem passivamente a circunstâncias adversas e têm dificuldade em responder adequadamente a acontecimentos importantes das suas vidas. Em resultado da sua falta de habilidade para interacções sociais e da falta de desejo de ter experiências sexuais, os indivíduos com este transtorno têm poucos relacionamentos, os encontros românticos são pouco frequentes e geralmente não se casam. «O funcionamento ocupacional pode estar prejudicado, particularmente se houver necessidade de envolvimento pessoal, mas os indivíduos com este transtorno podem sair-se bem quando trabalham em condições de isolamento social».

Psicóloga às 22:25
link do post | comentar | favorito
28 comentários:
De LUNAR CAMILLY a 6 de Outubro de 2011 às 03:56
PRESIZO DE AJUDA

Eu estava a proucurar uma ajuda psicologica e encontrei este texto, gostei pois mim dentifico muito com o que estar escrito. Como posso mudar e ser uma pessoa normal...
De marcia a 19 de Outubro de 2011 às 02:41
Meu filho de 17 anos foi recentemente diagnosticado por uma psiquiatra com transtorno esquizóide . A partir daí procurei ler tudo sobre o transtorno e reconheco que muitos sintomas meu filho apresenta. Como devo proceder para dar a ele melhor chance de ter uma vida com mais qualidade? Há cura ou controle que o faça ter uma vida normal, casar ter filhos enfim ser feliz? Ele pode representar um perigo para ele proprio ou para o outro?
De Anonimo a 31 de Dezembro de 2011 às 19:01
Ao que sei a resposta para todas as suas perguntas é "provavelmente não".

Creio que não há nenhuma cura conhecida, até porque não se sabe a causa (acho que as teorias oscilam entre "trauma de infância" e "desde a nascença, provavelmente genético"); de qualquer forma, grande parte da terapia psicológica (que gira muito à volta do dialogo terapeuta-paciente) é contra-indicada para esquizóides (pelas razões óbvias - os esquizóides não gostam de falar, e ainda por cima deles próprios).

O lado bom é que é provavelmente a mais inofensiva das doenças mentais - a vida do individuo resume-se a pouco mais do que pensar, o que o torna largamente inofensivo para os outros e para si (ou pelo menos tão inofensivo como uma pessoa normal")

Note também que, para um esquizóide "ter uma vida normal, casar ter filhos" não é a mesma coisa que "ser feliz" - para um esquizóide o mais parecido com a felicidade será viver sozinho, com um emprego que implique pouco iteração social e de preferência que requeira mais inteligência e raciocínio abstracto do que motivação ou dinamismo,

[Nota - não tenho qualquer diagnóstico oficial, mas há 15 anos a minha psicóloga disse que eu tinha as caracteristicas do TPE]
De Carlos a 6 de Junho de 2013 às 00:50
Boa noite,

Recomendaria que a senhora fizesse uma "constelação familiar", em grupo, para você mesma. E o tema abordado seria este transtorno esquizoide do seu filho.

Espero ter ajudado.
De aurinetede oliveira alves a 24 de Dezembro de 2015 às 13:18
gostaria de conversar com voçe ,pois sou mae e quero aprender mais sobre este assunto,ou melhor tirar duvidas
De falta aqui uma corda a 28 de Outubro de 2011 às 18:22
estou como você, Marcia...soube hoje do meu filho
De Yago Cutrim a 10 de Novembro de 2011 às 03:43
Tenho quase 20 anos e apresento inúmeros sintomas da Esquizóide.
Basicamente o unico que está um pouco fora é inexpressividade emocional,na verdade eu sou capaz de sorri e acenar pra outra pessoa entretanto é algo que levo mais como costume e educação.Entretanto muitas vezes em confusões eu demonstrava tamanha passividade e tranquilidade que geralmente acalmava a situação.
Não sinto muita preocupação na opinião alheia porém eu tento agradar as pessoas!Claro que sem deixar os meus princípios...Sinto um grande vazio,não sou assertivo (sim ou não) sou demasiadamente preguiçoso por conta de um desinteresse tremendo por coisas que são julgadas produtivas por todos.(mas eu gosto de fazer algumas poucas atividades como o desenho,jogar xadrez e a criação generalizada)
Meu lado afetivo é bastante nulo.Várias mulheres aparecem mas eu simplesmente não quero entrar em relaçoes.
ENTRETANTO eu sinto algo que parece "amor" por uma mulher de MG que tenho longas conversas por telefone!
Sou excêntrico mas não gosto tanto de chamar a atenção!
Não gosto de elogios e Odeio qualquer tipo de pressão.
Odeio quem fica "marocando" a minha vida.Qualquer coisa que comece a torna obrigação eu desisto.Fujo do trabalho por que aqui são todos assim.Chefe te cobrando.Sinto-me mal por ainda ser dependente,não peço nada e tento ser o menos incoveniente ao meus pais.Odeio as conversas com meu pai quando se trata de cobranças sobre minha pessoa
Prefiro ficar no quarto jogando meus jogos,desenhando e sempre imaginando tanta coisa.Tenho muitos sonhos bizarros e as vezes levo isso ao meu cotidiano para tentar decifrá-los!
Sobre a minha infãncia eu sempre fui bastante introspectivo mas nunca de uma forma "odiosa" e sim de uma forma extremamente pacifica e muitas vezes amável e ao decorrer da adolescencia me tornei cada vez mais fechado e cabeça fechada para tudo,fiquei um pouco preso à minha infãncia pois foi uma epoca que tive maior liberdade de expressão,ainda que Muitos poucos me compreedessem !
As vezes eu sou pouco rápido nas amizades,conheço uma pessoa e logo quando me agrado dela (o que é raro ) eu costumo falar sobre minha intimidade porém se for alguem que eu nao aprove eu realmente acho irritante perguntas sobre minhas intimidades.
Sinto-me um pouco egoista por falar tanto de mim mas eu gosto de ser altruista.As vezes tento não incomodar e fico sendo mal educado mas de forma alguma as pessoas levam isso de forma revoltante e sim do tipo"ele é calminho e tímido"
Por favor me digam o que acham de mim !

De Julia a 21 de Agosto de 2012 às 13:26
Que engraçado, Yago, é como se você acabasse de me descrever. Não tenho dificuldade em ser gentil, sorrir, acenar, etc, mas não me importo muito com ninguém em geral. gosto desenhar, pintar e outras atividades de introspecção mas só consigo fazer essas coisas quando estou sozinha, tenho uma grande necessidade de ficar sozinha, não o tempo todo, mas as vezes, a maior parte dele, mas gosto de ser assim. O que me deixa preocupada de certa forma é que não tenho vontade de namorar alguém ou até mesmo ter muita intimidade intelectual com alguém. Não fixo raízes num grupo, sabe... Me sinto melhor sabendo que estou sozinha no mundo. E gosto de ser quem sou.
De Yago a 21 de Agosto de 2012 às 16:08
Oi julia ,
Ultimamente estou um pouco mais "aberto" mas da mesma forma.Não gosto do jeito que eu sou mas nao por conta dos outros e sim por que me sinto improdutivo da forma que eu sou.
Sobre o namoro também é bem confuso,eu não gosto de relação (mínima ou séria) mas eu gosto de mulheres.
Queria conversar com alguem tipo você,
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Oi julia , <BR>Ultimamente estou um pouco mais "aberto" mas da mesma forma.Não gosto do jeito que eu sou mas nao por conta dos outros e sim por que me sinto improdutivo da forma que eu sou. <BR>Sobre o namoro também é bem confuso,eu não gosto de relação (mínima ou séria) mas eu gosto de mulheres. <BR>Queria conversar com alguem tipo você, <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Monge_raiz@hotmail</A> (sim esse é meu msn e ele tem 10 pessoas,um record mas também é unico comunicador online que uso)
De Sidney a 12 de Fevereiro de 2015 às 06:30
Caramba, isso praticamente é minha vida toda.

Mas algumas coisas são meio diferentes em mim, como o sexo: eu fico muito triste pelo o fato de não conseguir me relacionar com mulheres (e em outros casos - ninguém). Sempre fui ruim em matemática e qualquer coisa exata, sempre passava a aula todinha fazendo desenhos sem lógica, rabisco aleatórios. frases metafóricas e mais recentemente poesias. Infelizmente larguei a escola, e estou totalmente perdido; sem rumo. Eu me sinto como se estivesse sendo orientado pelo Gilberto Gil na música "Oriente".

Tenho amigos, amigos verdadeiros. Mas não bote fé que sou uma pessoa legal, sou muitas vezes apático e sem jeito; mas não sei por que tenho amigos, isso não é muito difícil pra mim. Apesar de não me sentir confortável em cantos com muita concentração de gente, pessoas desconhecidas e mulheres - obviamente. Tenho muita desconfiança das pessoas que me cerca, até do meu pai.

Desde criança fantasio relações amorosas, tipo achar que tô namorando uma gata, mas tá no mundo da lua... Desconectado de tudo, só na imaginação. Também muitas vezes preciso de um tempo para contemplação, ficar sozinho na fertilidade dos meus pensamentos.

E também me acho muito egocêntrico, é tanto que já falei isso para os meus três verdadeiros amigos. Só falo dos meus problemas, dos meus pensamentos; sou taxado como "viajoso". Enfim, eu tenho tudo isso, mas reconheço que não sou feliz e não quero estar isolado, apesar de gostar e sempre procurar me afastar; mas é uma droga: um vício no qual só faz nos prejudicar cada dia mais. Eu quero ser "normal". Quero namorar, beijar, trabalhar, estudar, falar, enfim, quero VIVER!!!
De Nita a 13 de Setembro de 2016 às 23:13
Agora fiquei com a ideia que não seria personalidade esquizóide mas sim Síndrome de Asperger... Serão assim tão similares para se confundirem? Não sei, mas fiquei a pensar nisso...
De Rosário a 5 de Maio de 2012 às 18:47
Finalmente sei o que o meu filho tem. Ao ler sobre este transtorno de personalidade, reconheci sintomas nele que o caracterizam com este problema. O que preciso é apenas saber de que forma o posso ajudar, no dia á dia. deixa-lo isolar-se é compreende-lo, aceitar e não pressionar, mas será que às vezes não é necessário insistir com ele a participar na vida familiar para que o isolamento não se torne num buraco escuro? o facto é que só tem 20 anos e sem objectivos na vida e sem pensar no futuro como será a vida dele quando a mãe não puder ajudar? Sei que será sempre timido e introvertido, mas de que forma consigo fazer-lhe ver que a vida é bela e que é preciso dar-lhe valor?
De Kadu Victor a 20 de Novembro de 2012 às 00:04
Me identifiquei muito com esse texto... Embora eu não saiba se realmente tenho essa condição, aqui está o meu depoimento...
Tenho 25 mas comecei a perceber a minha condição há pouco tempo. Desde que consigo me lembrar sempre fui introvertido e introspectivo, com poucos amigos... na escola e mesmo depois nos meus empregos eu só tinha "conhecidos".
Muito do que eu posso dizer sobre mim já foi dito pelo Yago e pela Júlia, mas posso relatar como foi esse processo de auto-conhecimento.
Tive um relacionamento profundo dos 18 aos 21 que deixou uma cicatriz mais profunda ainda. Passei por longos períodos de isolamento e depressão. Aos poucos tentava me recuperar, mas percebi que eu não conseguia me conectar com outras pessoas, além de um ou outro amigo antigo (dos quais ainda sempre sentia uma certa distância).
Com o tempo tive oportunidades de novos relacionamentos, mas nenhuma garota me despertava interesse. Pensei que eu pudesse estar traumatizado pelo meu antigo relacionamento (que foi muito intenso no começo e no fim) mas quando parei para refletir sobre meu passado, percebi que mesmo antes eu já demonstrava sintomas desse tipo de transtorno. Pude perceber como demonstro eles até hoje.
Mês passado um amigo meu que conheço há 7 anos faleceu e enquanto eu compareci ao velório, eu não compartilhava da "tristeza" e do luto dos outros presentes... Mesmo assim fiquei triste, claro, mas era como se não fosse comigo. Não sei explicar.
Percebi também que não consigo ficar muito tempo na presença de pessoas com que não tenho um certo grau mínimo de empatia, é como se me cansasse. Só me sinto a vontade mesmo na minha casa, e quando há visitas acontece a mesma coisa.
Tenho uma certa dificuldade em realizar planos e estabelecer metas, tenho aversão a compromissos de qualquer espécie, seja no trabalho ou num relacionamento.
À parte a isso, pratico artes marciais a cerca de 7 anos e toco instrumentos musicais (duas atividades que considero meus "medicamentos" ou terapias, mas das quais já senti muito desinteresse diversas vezes).
Consigo falar de alguns dos meus problemas com pessoas que conheço que também demonstram serem "diferentes" da maioria...
Tenho anotado no pc aqui de casa o telefone de psicólogos que atendem gratuitamente, mas sempre que penso e ligar eu acabo criando mil motivos para não fazê-lo (faço isso com várias outras coisas também).

Se possível gostaria da opinião de vocês,
Obrigado
De Anónimo a 6 de Junho de 2013 às 01:29
Olá Kadu.. vou dar duas dicas que podem ajudar.

A primeira que é essencial:

- Sair da casa dos pais!!

É muito importante, nem que aperte as contas, mas morar afastado deles.
Você retira uma carga enorme das suas costas e ameniza um pouco a vontade aguda de se recolher e se excluir (experiência própria).


A segunda dica:

- Praticar meditação.

Frequente algumas aulas que ensinam a meditar e comece a fazer isso.
Irá diminuir bastante aqueles pensamentos que bombardeiam as nossas cabeças, e com isso aumenta a disposição para fazer as coisas.
É engraçado, mas se agente para de imaginar tantas coisas e para de falar sozinho (que é o meu caso), a cabeça fica vazia e começamos a realizar várias tarefas que antes evitávamos por preguiça.
De Rosineida da apar. Larocca ribas a 27 de Novembro de 2012 às 19:52
Eu sou tudo isso
De pedro a 21 de Dezembro de 2012 às 11:52
Eu tb me sinto assim, sou muito frio me fecho pra qualquer tipo de relacao afetiva ,ja perdi varias chances de ter relacionamentos ,sou excentrico e coloco a minha opiniao na frente de tudo e de todos , a minha vida social praticamente nao existe queria ter ajuda de psicologo pra entender isso um pouco melhor
De Zelito Filhole a 13 de Janeiro de 2013 às 04:40
Esse ano fui diagnosticado com Transtorno de Personalidade pelo psiquiatra, e acho que é o TP esquizoide. Desde os meus 10 anos que eu sou introvertido. Até que consigo conversar e divertir a alguns, mas prefiro, a maior parte do tempo, ficar sozinho. As pessoas perguntam o porque de eu ser assim, e falo que é o meu jeito de ser. Gostaria, se possível, de compartilhar com alguém que comentou sobre o texto, e quem sabe isso poderia ser de grande valia.
De Luis Fernando a 20 de Julho de 2013 às 13:12
Descobri hoje sobre o TPE enquanto fazia uma busca sobre distimia. Tenho 26 anos e lá pelos 18 ou 19 até cheguei a fazer tratamento para depressão o qual eu larguei (big f*cking surprise). Sempre tive os sintomas mas sempre os associei à depressão e fiquei feliz (e triste) (ou não) ao descobrir que isso tudo tem um nome. Enquanto pulava de um artigo a outro, me assustei com sintomas semelhantes à distimia e anedonia, então lembrei que não tenho porque me assustar com isso. O pior que pode acontecer é alguém que eu conheça descobrir o TPE e me perguntar a respeito. Yuri, Julia e Kadu, muito obrigado pelos relatos de vocês. Eu também agradeço aos que postaram anonimamente. Tamo junto. Mas os 3 citados me descreveram perfeitamente. Sou até de fácil socialização. Sorrio, converso, conto piadas, enfim, mas isso me exauri. Quando tenho qualquer experiência social mais intensa tenho, o que eu chamo de, ressaca social. Estado este de estafa onde tenho vontade de ficar no meu canto quieto (seja dormindo, tocando violão, desenhando, lendo ou escrevendo) e um simples “bom dia“ do meu irmão me incomoda. Muito. Mesmo. Eu gostaria de saber como fazer pra ter um diagnostico mais preciso e quais os tratamentos. Não que eu não goste de ser quem eu sou, é só que pela primeira vez eu acho que entendi um pouco sobre quem sou, e talvez, possa fazer algo a respeito. Ou não.

Comentar post

Bem Vindos ao meu Blog

MyCuteGraphics.com - Cute Glitter Graphics

Acerca de mim

Contador de Visitas

Hospedagem de Sites
Contador de visitas grátis

Users Online

online

Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Transtorno de Personalida...

Transtorno de Personalida...

RE-ENCAMINHAMENTO DE CONS...

MARCAÇÃO DE CONSULTAS

AFINAL QUAL É O PAPEL DO ...

tags

acompanhamento em momentos de crise

adolescência

ajuda psicológica

alcoolismo

amor

asperger

ausência do blog

bipolar

bullying

cleptomania

consultas de psicologia

depressão

depressão na terceira idade

dislexia

esquizofrenia

hiperactividade

luto patológico

neurose fóbica

obesidade

pedidos de ajuda

pedofilia

psicologia

psicoterapia

sexualidade

sociedade

terceira idade

transtornos de personalidade

tricotilomania

todas as tags

Caixinha de diálogo

links

Bom Dia para todos

MyCuteGraphics.com - Cute Glitter Graphics